quarta-feira, 27 de junho de 2012

Predador.




A carne que nos une
Nos torna iguais.

Então o predador nasce,
Por ter ossos em ócio
E o ofício a declarar.

Então os papéis se divergem.

E ao morder o seu próprio rabo,
O predador foge de si 
Usando suas quatro patas.



Um comentário:

Cristiano Marcell disse...

Muitíssimo bom, meu caro!