domingo, 1 de abril de 2012

Em movimento





Levar à boca
O cigarro, a fumaça, a mão
Faz escorrer do peito
A dor, o cansaço, o estardalhaço
De  ainda ter que viver com esse inútil coração.

Um comentário:

Marcelo R. Rezende disse...

Que por vezes só pesa.