quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Nosso Amor.



Mais uma vez estamos, você e eu, aqui

Os mesmos personagens em cena

Dois ricos amores banhados a luz plena

E uma rima garantida por um mero dilema.


Ambos sorrimos quando dissemos:

“Por hoje chega de palavras ásperas”

Ambos choramos quando dissemos:

“Que nosso pranto seja divido como por encanto”.


Tolo.

Essa nomenclatura se adéqua a quem acredita

Que amores vêm e vão.


O amor, caso tenha existido

É para sempre

Mesmo sem contato, dor ou separação.


Mas, eis que em meio a caos de uma vida ímpar

Sobra um toque e um beijo que não dá para comparar

Sentimento forte, talvez lógica, talvez sina

Mas que sobrevive a qualquer conjugação do verbo amar.


Um comentário:

netinho.silva disse...

Não é a toa que te chamo de Srº Poeta *-*